Estratégias de arrecadação financeira


"E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas" 2 Pedro 2:3a

USAR PESSOAS DE OUTRAS RELIGIÕES

Dizer que pessoas de outra religião (ex.: católicos) se dispuseram a doar. Com esta estratégia o objetivo é fazer os cristãos se espantarem ao mesmo tempo se sentirem mal se não contribuírem pois estarão "sentindo-se" atrás das pessoas de outras religiões. Leva o rebanho a pensar do seguinte modo "se até gente de outra religião está doando, ficará feio se eu não doar também". Todos nós já vimos isso acontecer mais de uma vez, pastores lançando desafios financeiros e de repente começam a dizer que até gente de outras religiões estão contribuindo.

O PROGRAMA VAI SAIR DO AR

Dizer que o programa vai sair do ar. Esta estratégia é velha conhecida tanto na rádio quanto na televisão. Os pastores que a adotam (e não são poucos) são conhecidos como pastores chorões. Eles vivem chorando em meio a programação que estão sem dinheiro para manter o programa e que precisam da sua ajuda, que a obra de Deus precisa de um socorro. Semana após semana a conversa sempre será a mesma. Outra estratégia parecida é dizer que "esta é a semana do aluguel da igreja". Apenas por dizer estas coisas as pessoas se sentirão pressionadas a contribuir mais uma vez que, ninguém quer ser o "responsável" pelo programa sair do ar ou da igreja fechar. Basicamente esta estratégia e os pedidos de oferta podem vir acompanhados de uma música emocionante de fundo, para tocar no coração das pessoas e causar sensibilização, no final da contas gera uma tremenda pressão psicológica e os pastores jogam a conta da igreja nas costas dos membros, se não arrecadarem a culpa será dos membros pela igreja ter fechado, o programa ter saído do ar, e assim por diante.

PROMETER RIQUEZAS AOS OFERTANTES

Dizer que quanto mais se dá mais se terá. Esta é a famosa conversa do plante uma semente e colha milagres, bençãos financeiras sem medidas, livramentos de crise, enfim, o céu na terra é o limite das promessas feitas aos ofertas. Há diversas variantes desta teologia das semente mas todas elas giram em torno de estimular a ganância e cobiça dos fiéis, levando-os a uma horrenda barganha com Deus, dando dinheiro para receber dinheiro. 

AMEAÇAR COM O DEVORADOR

Dizer que quem não dá está em desobediência e irá para o inferno. Um dos versículos mais utilizados nesta tática de arrancar ofertas do povo está em Malaquias, aquele que é lido todo culto para incutir medo no coração dum rebanho que pouco conhece de bíblia e portanto pode ser facilmente manipulado. "Roubará o homem a Deus?" Fala eloquentemente o pregador em todos os cultos. "Em que me roubais?", ele mesmo responde "nos dízimos e nas ofertas". Distorce assim a profecia da palavra de Deus para transformar cada linha da bíblia num objetivo financeiro de arrecadação de fundos para sustento material da igreja. Estas ameaças funcionam e para colaborar com elas há até mesmo uma série de testemunhos na internet de gente dizendo ter sido arrebatada ao inferno e ter visto que os não dizimistas estarão lá, queimando eternamente. Como se Deus estivesse preocupado ou quisesse (precisasse) de dez por cento do nosso salário todo mês (e não esqueça, dízimos + ofertas), quer dizer, eles não querem só dez por cento, mas se você não der pelo menos um real de oferta a mais do que o dízimo na cabeça deles é o suficiente para te mandarem ao inferno, mesmo que a bíblia em momento algum diga isso. O figura mítica do devorador, inventada por pastores gananciosos é amplamente usada para ameaçar os que não contribuem. Coisas do tipo, você vai ficar doente, tua mulher vai te abandonar, tudo de ruim acontecerá com quem não der pois estará roubando a Deus.

O ARRECADADOR

Outra estratégia muito comum utilizada para arrecadar dinheiro é os pastores convidarem alguém para pregar na sua igreja. Um pregador de fora vem e no meio evangélico ele é chamado de arrecadador. São pastores que vem de fora e tem uma boa lábia e conseguem arrancar até as roupas de baixo dos fiéis na base da sua poderosa oratória e falsos milagres e revelações. Os pastores normalmente combinam, nestes dias se passa oferta mais de uma vez, e eles muitas vezes racham a arrecadação do dia com o pregador convidado, algo tipo 70/30%, ou meio a meio, vai depender do acordo de bastidores entre o pastor e o arrecadador. Figuras como esta muitas vezes vem dos Estados Unidos para cá fazer desafios financeiros na televisão. Não necessariamente todas as vezes há o acordo em rachar as ofertas, mas estes homens vem e sempre arrecadam muito dinheiro, eles nunca vem se lançarem um desafio de oferta e contribuição em troca de alguma "bênção especial" que eles dizem terem recebido por revelação da parte de Deus.

VENDA CAMUFLADA DE OBJETOS "UNGIDOS"

Outra estratégia de arrecadação amplamente divulgada no Brasil é a venda de amuletos evangélicos. Os pastores pegam água suja do esgoto e dizem que foram para Israel e que é água do rio Jordão, tomam uma lasca de madeira e dizem que é uma lasca da cruz, vendem tijolinhos, pequenas botijas com azeite dentro, paninhos, meias, vassouras. A imaginação é realmente fértil, eles podem tomar uma espada em miniatura e vender dizendo que é a espada do arcanjo miguel para proteção. Usam também sal grosso, pequenos sacos de cimento. Todos nós conhecemos muito bem estas práticas anti-cristãs que vemos hoje em dia e elas não passam de estratégias de arrecadação financeira. Eles sempre usam algum versículo da bíblia fora do contexto para tentar contextualizar a sua venda de objetos. Vendem sabonetinhos, tijolinhos, tudo que você possa imaginar. Eles dizem "corra e coloque o dinheiro nos pés do 'apóstolo'"

USO DE VERSÍCULOS COM NÚMEROS

Esta é outra estratégia muito comum, os pastores afirmam que Deus falou com eles para trazer um desafio financeiro a igreja. Então eles leem uma passagem da bíblia, por exemplo, dizendo que Pedro colheu 153 grandes peixes, na sequencia eles dizem que a revelação que receberam é que a oferta a ser dada é de R$ 153 reais. Ou então dizem que haviam 7 mil que não se dobraram nos dias de Elias, e dai dizem que Deus quer 7 mil pessoas com uma oferta de mil reais, e lançam a campanha dos sete mil te desafiando a fazer parte dos sete mil, e que Deus vai abençoar, prosperar, etc.

CAMPANHAS COMO FORMA DE MANTER AS PESSOAS NA IGREJA

Muitas igrejas lançam campanhas de 3 semanas, 7 semanas, 12 semanas (ou dias), onde a pessoa se obriga a ir nos cultos até o final da campanha. É óbvio que em cada culto (extra) destes, vai arrecadar dinheiro e portanto, já que ninguém quer quebrar seu voto a Deus e faltar na campanha, é um modo bastante eficaz de "obrigar" a pessoa a ir na igreja e chegando lá basta fazer todo o teatro para que a pessoa se sinta tocada a "ofertar na obra de Deus".

FINAL

Há muitas outras estratégias sendo usadas por ai, artimanhas, palavras fingidas sendo utilizadas para arrecadar fundos. Se você é um pastor sério, por favor, não use estas táticas que mancharam o nome da igreja e fizeram o mundo acreditar que o evangelho é dinheiro e que Jesus é um deus financeiro. Apenas confie em Deus pois o justo viverá pela fé. Você não precisa disso pois o Senhor mesmo sempre proverá os recursos através do Seu Poder. Sempre haverá um modo de Deus enviar recursos justos, voluntários, e que sejam bem destinados, assim como disseram os apóstolos do Cordeiro a Paulo, lembrem-se também dos pobres. Deus sempre sustenta a Sua própria obra, Ele quer a sua vida e não o seu dinheiro, apenas pregue a palavra, deixe que Deus mesmo te surpreenda a respeito do sustento. Aprenda andar por fé, confiar e depender de Jesus. Não faça grandes planos dos quais venha a se envergonhar no juízo final. Ande na medida do dom que Deus está te dando. Seja muito ou seja pouco, sempre Jesus Cristo será suficiente. Não participe dos mesmos jogos que a igreja está participando hoje, jogos de dinheiro e falsas profecias.

Paz a todos!

Arrepende-te Brasil
Share on Google Plus

Sobre o site ArrependeteBrasil

Arrepende-te Brasil: Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, levar um povo a consciência e atitude de preparação individual para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.